10° Princípio: Cooperação

0
323

Poupar e defender os filhos de qualquer encargo, não funciona: a essência da família repousa na cooperação, não na convivência.

Já temos algumas respostas após a analise minuciosa de dez causas que acreditamos sejam responsáveis por muitos dos desvarios que a família tem enfrentado. Sabe-se que os acontecimentos das últimas décadas minaram-lhe a autoridade e as tradições.

Sem perceber, os pais foram levados e confundidos por diferentes causas, e não podiam imaginar que as exigências do mundo moderno e seus novos valores tivessem tanta influência sobre o filho.

Pensavam que o amor, a atenção, os cuidados preparassem-no para a vida… Mas a dedicação amorosa, do tipo aconchego, a permissividade sem nenhuma disciplina, nada garantiu.

Lembrem-se: há algum tempo, os jovens eram criados respeitando a todos (avós, pais, professores). Tinham prazer em servir ou trabalhar por eles ou com eles… Devagarinho, porém, as coisas foram mudando… Os pais ou punham empregados para fazer o serviço ou faziam tudo, deixando o filho livre para estudar e ser criança.

Esquecendo-se de que o trabalho valoriza as pessoas, ajuda o jovem a crescer e o prepara para a vida. O esperto, o vivo, o melhor, em o que levava vantagens e se aproveitava
de todos. As palavras honra, dignidade, ficaram ultrapassadas.

O Amor-Exigente acredita que o trabalho é o instrumento de união e de valorização de cada membro da família ou da comunidade. Os pais devem despertar nos filhos a responsabilidade
por cada pessoa de seu grupo familiar ou social.

Os filhos devem ter encargos em suas casas. É preciso instalar na família o primeiro e principal núcleo de formação do indivíduo socialmente responsável, uma verdadeira comunidade onde se respeita e se é respeitado.

Os filhos só terão direito de reivindicar alguma coisa quando, com uma postura madura e séria, tornam-se membros cooperadores e organizadores do grupo familiar. Facilitando a
cooperação, os pais dão oportunidade aos filhos de mudarem seu rumo, de se valorizarem e de os valorizarem também.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here