Jussara Bello Petrocelli Simonetti – Gente que faz!

0
789
Jussara Bello Petrocelli Simonetti em família

GENTE QUE FAZ!

Dando sequência a nossa intenção de trazer a público pessoas que dirigem e/ou fundaram alguma Entidade Assistencial na nossa cidade, hoje compartilhamos com vocês um pouquinho da experiência de vida da Jussara da Mapear. Pessoa maravilhosa, guerreira e com um enorme coração:

Meu nome é Jussara Bello Petrocelli Simonetti, tenho 56 anos, sou casada há 37 anos com Paulo Cesar Nasser Simonetti e tivemos 5 filhos.

Hoje, dos cinco filhos três estão conosco e os dois caçulas já se encontram na Glória de Deus.

Sou a filha mais velha de uma família de 5 irmãos e sempre tive uma predileção por crianças!

Casei ainda bem jovem, eu com 19 anos e o Paulinho com 22, em Abril de 1984 .

Eu cursava na época o segundo ano da faculdade de Terapia Ocupacional em Campinas, mas acabei não concluindo o curso. No final do mesmo ano, nasceu nosso 1º filho, depois… fui mãe por uns bons anos!!

O esporte sempre fez parte ativa da minha vida, desde criança. Voleibol, Tênis de campo, atletismo, só parei realmente depois que me casei por conta dos filhos.

Não pensávamos em ter um número x de filhos, mas tínhamos uma abertura à vida conquistada pela fé. Foram cinco cesarianas, não por opção, mas por necessidade e na última gravidez, uma surpresa inesperada: Tiago nasceu prematuramente aos 7 meses e meio de gestação, no dia cinco de Agosto de 2002 falecendo três dias depois por insuficiência respiratória.

Posso dizer que me encontrava bem fragilizada pela morte do meu pai, um mês antes, foi uma grande dor.

Tive muita sorte por ter tido 5 filhos, um marido do bem e conhecido o Movimento dos Focolares onde me formei não só espiritualmente, mas para a vida toda.

Conheci o Ideal de Chiara Lubich, digo, Movimento dos Focolares, em 1986 em um encontro para casais e na época esperava o 2º filho de 6 meses. Posso dizer que foi meu 1º encontro com Deus Amor, não que eu soubesse disso, porém mais tarde descobri através das minhas experiências.

Daí pra frente muita coisa mudou na minha vida; o relacionamento com as pessoas, com meus filhos e marido. Aprendi a arte de amar. Ver Jesus no outro; amar sem esperar e recomeçar sempre.

Não era nada fácil viver assim, mas um treino, um exercício diário que com o tempo se tornaram mais habituais. Foi uma escola de vida.

Participei de muitos encontros, congressos e participamos por alguns anos de um grupo de famílias que se reuniam na minha casa. Meus filhos eram menores e estavam sempre no nosso meio.

Depois de alguns anos passei por uma fase bem diferente. Muito envolvida com o trabalho me afastei da comunidade. Vivia em constante conflito comigo mesma e isso me causou muito sofrimento.

Buscava um motivo pelo qual me sentia daquela forma. Um grande vazio e uma aridez tomavam conta do meu coração.

Um dia, voltando do trabalho quando vinha de Mococa para São José me veio um pensamento que me fez muita impressão. Sentia que minha vida estava muito monótona, sem sentido.

Era muito trabalho, trabalho e trabalho e me questionei. O que será que Deus quer de mim? Quais seriam seus planos?

Foi quando em Outubro de 2012, sem que esperássemos, Deus nos pediu um passo gigantesco, digo a nós porque foi à minha família toda.

Tudo aconteceu muito rápido. Cheguei em casa, num sábado depois do trabalho, por volta das duas horas da tarde e estavam todos na sala. Meu marido e meus filhos mais velhos conversavam tranquilamente e o Pedro, nosso caçula tinha saído para dar uma volta de moto.

Essa volta lhe custou a vida! Sofreu um acidente banal, uma fratura simples de tíbia que o levou a óbito em poucas horas, por embolia pulmonar!

Era isto o que Deus me pedia. Um passo gigantesco, um grande abraço a Jesus Abandonado (como aprendi no Focolare), Aquele Jesus na Cruz, ferido, machucado e sozinho.

Foi assim que me senti. Naquele momento me entreguei nos braços de Deus e coloquei toda minha família.

Entregamos o Pedro de volta para o Pai. Todos nós fizemos isto e faço todas as vezes que penso nele até hoje.

Pode parecer impossível, mas senti e acredito que todos sentiram o amor e a graça de Deus que nos amparava naquele momento. Foi um momento de grande dor, mas também de muito amor. Ali nasceu uma nova Jussara, uma outra pessoa, com olhar e sentimentos voltados para fora de si, pois para vencer a dor, precisei ir além, sair de mim!!

Nesse momento também, depois de 11 anos, me encontrava com uma antiga amiga, Viviane Rodella, que se colocou ao meu lado dali para frente.

🙏Gostaríamos de agradecer à Droga Raia de São José do Rio Pardo que realizou uma campanha em prol da Mapear para arrecadar produtos de higiene pessoal. Esses itens nos ajudarão muito com as crianças! Muito obrigada!!🥰
#mapear #ongmapear #mapeando #drogaraia #Colaboração #doação

É a experiência mais dura que uma mãe pode experimentar! Quando ouvia de alguém essas histórias, já sofria muito pois ficava imaginando o que se passava com aquela mãe, então, quando aconteceu comigo me senti motivada a me juntar a elas e assim nos reuníamos na minha casa para nos ouvir, confortar-nos e buscar forças para seguirmos adiante!

Foi muito bom! Sair da sua dor para acolher a dor do outro nos transforma! Essas reuniões duraram quase dois anos e a Dra Viviane, estava sempre presente, seja para estar comigo como também para trazer algumas outras mães que passavam pela perícia médica onde ela atendia.

Até que aconteceu com ela também. Acredito que toda essa história, inacreditável a compreensão humana, estava nos Planos de Deus!

Nos juntamos e buscando preencher o tempo e o coração, fizemos uma viagem juntas em Julho de 2014 onde conhecemos um Projeto Social e voltamos com o firme propósito de montar um projeto aqui em São José.

Procurando a Assistência Social da cidade, foi nos dada a oportunidade de trabalharmos com SCFV (Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos), acolhendo crianças e adolescentes no espaço já existente no Bairro Domingos de Syllos.

Assim surgiu o Projeto Mapear, nome criado pela Viviane em homenagem aos nossos queridos, Mariana e Pedro. Este ano completaremos em Maio 6 anos de existência!

Agora, muitas alegrias me preenchem a vida atualmente . O Projeto é uma delas, consome o meu tempo e o meu pensamento.

Uma outra são os meus netos, três, dois meninos e uma menininha! Quanta alegria, meu Deus! Ser avó me rejuvenesceu muitos anos. E o meu marido, que se não fosse todo seu desprendimento e competência não poderia me dedicar ao Projeto.

Posso dizer com certeza que sou uma pessoa feliz, realizada, pois aprendi que a felicidade está em fazer o outro feliz!

Jussara Bello Petrocelli Simonetti é GENTE QUE FAZ!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here