Nunca assisti Casablanca

0
4118

Nunca assisti Casablanca. Nem nunca vi o rosto de Humpfrey Bogart e Ingrid Bergman tanto é verdade, que estava confundindo com outra loura beldade, Lauren Bacall, tive que pesquisar quem era atriz.

Eu nunca fui ao Hopi-Hari. Todo ano tinha, e sempre passou por minha imaginação como seria o temido elevador que todos comentavam pelos corredores da escola.
Nunca gostei do geladinho da escola. Quando pela primeira vez experimentei um cor de laranja, meu estomago reclamou e acabei me arrependendo muito.
Nunca fiquei com ninguém em nenhuma festa no Pedro Augusto. As baladinhas dos 13 anos, quando achamos que estamos abafando, enfim, a sós numa balada, foram pesadelos ao vivo. Todas as que achava interessantes, ficavam caidinhas nos babaquinhas da ‘’turma’’. Foram uma das minhas piores experiências existênciais.

Nunca tirei 10 em português. Cheguei perto, rasguei certa vez um 8, 8 e meio, (ouvi sussurrarem Fellini?), mas nunca a nota cheia. Aproveitando a deixa: nunca leram minhas redações na frente da classe, e adivinhem quem acabou escrevendo mais?
Quando finalmente fui para o rodeio, depois de tanto encher o saco da minha irmã e minha prima, voltei arrasado! Odiei o frio, os maus tratos com o coitado do boi. Só lembro o quanto a banda de apoio de Zezé de Camargo & Luciano era foda!

Meu passado também me condena.

Por outro lado, conheci ao vivo e a cores Roberto Menescal no backstage de sua apresentação na Fábrica de Expressão, quando tocou acompanhado de Mana Tessari e Marcia Tauill. Na última ExpoMusic que fui, encontrei o Regis Tadeu e falei na cara dura e na sua cara, tudo o que ele merecia ouvir.
Nunca fui a feira da Unicamp na minha fase pré-vestibulanda, afim de sonhar o vislumbre de que a vida será perfeita quando passar na prova da muscular universidade. Muito ao contrário disso, visitei os impressionistas italianos, na exposição que foi a que teve o maior acervo dos ícones Monet, Manet e Renoir reunidos,

Já fui estatística. Não da lista de aprovação vestibulanda, mas de todos os cadernos de cultura, dos principais jornais do Brasil, quando noticiaram que, os números de visitantes da exposição dos expressionistas, foi a de maior visitação na história do MASP até então.
Se te derem uma laranja, faça um suco de laranja. Tenha sempre otimismo (e um pouquinho de humildade) na vida. O resto vem de acréscimo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here