A importância do Assoalho pélvico na saúde da mulher

0
804
Assoalho pélvico na saúde da mulher

Olá pessoal, tudo bem?

O assunto de hoje é extremamente importante e infelizmente muitas mulheres não tem conhecimento da existência e muito menos da relevância na sua saúde: o assoalho pélvico.

O assoalho pélvico é uma estrutura localizada na parte inferior da pelve (como o próprio nome já diz é o “chão” do nosso quadril). É composto por músculos, fáscias e ligamentos que são responsáveis por dar sustentação aos nossos órgãos pélvicos, manutenção da continência urinária e fecal, além de envolver aspectos relacionados à função sexual e ao parto normal.

Fonte da foto: https://h2studio.com.br/musculo-pelvico/

Quando há algum problema com uma dessas estruturas que compõe o assoalho pélvico podem surgir algumas disfunções como a incontinência urinária e/ou fecal, constipação intestinal (intestino preso), prolapso dos órgãos pélvicos (a famosa “bexiga caída”) e as disfunções sexuais femininas (por exemplo, a dor durante a relação sexual).

Felizmente há diversos tipos de tratamento para as disfunções do assoalho pélvico e entre as opções destaca-se o treinamento dos músculos do assoalho pélvico (também conhecido como exercícios perineais ou de Kegel).  Este treinamento consiste em contrações e relaxamento voluntário, seletivo e repetitivo dos músculos do assoalho pélvico com o objetivo de melhorar a força, resistência, relaxamento, coordenação motora e flexibilidade.

O treinamento dos músculos do assoalho pélvico é considerado a primeira linha de tratamento da incontinência urinária de esforço (perda urinária em situações que aumentam a pressão intra-abdominal, como durante a tosse, espirro ou ao pegar um objeto pesado) e também há evidências crescentes da sua efetividade no tratamento de outros tipos de incontinência urinária, de prolapso de órgãos pélvicos de grau leve a moderado e na melhora da função sexual.

Mas não pense que ele dever ser realizado apenas em casos que já exista alguma disfunção, o ideal seria que TODAS as mulheres o fizessem como uma forma de PREVENÇÃO, pois há algumas fases da vida que favorecem o aparecimento de disfunções do assoalho pélvico como durante a gravidez, após o parto, menopausa, no próprio envelhecimento e após cirurgias pélvicas.

Para finalizar, é importante procurar um profissional que auxilie na prescrição e realização destes exercícios, uma vez que cerca de 30 a 40% das mulheres não sabem contrair os músculos do assoalho pélvico corretamente. Procure um fisioterapeuta!

Obrigada e até mais!

Caroline Caetano Pena
Mestre em Ciências
Programa de Pós- Graduação em Reabilitação e Desempenho Funcional
Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto – FMRP- USP
Laboratório de Avaliação Funcional do Assoalho Pélvico – LAFAP

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here