Nunca é tarde para descobrir sua paixão profissional

1
794
Photo by Unknown, Public Domain

A definição da carreira profissional é um dos momentos mais delicados da vida, onde um jovem adulto (ou muitas vezes até mesmo um adolescente) sente o peso de tomar uma decisão que, naquele momento, parece ser a que vai decidir o futuro de sua vida pessoal.

Nos tempos atuais, no entanto, tem sido cada vez mais comum que pessoas encontrem uma nova atividade dando vazão à uma antiga paixão, mesmo depois de uma carreira profissional já iniciada.

Até mesmo porque nem sempre as novas atividades são excludentes em relação à profissão já exercida, podendo servir tanto como um novo hobby, ou mesmo na coexistência de duas diferentes atividades profissionais.

Claro que esta não é uma decisão fácil de ser tomada. Os pontos principais de preocupação são a instabilidade financeira e o receio de se estar com idade muito avançada para mudanças na vida pessoal.

O desejo de mudanças profissionais é algo cada vez mais presente, relacionado à busca por novos trabalhos que proporcionem experiências únicas e uma atividade mais motivadora e inspiradora, segundo o autor de livros de encorajamento profissional, Suzy Greaves.

Segundo o autor, é comum que após os 30 anos de idade, os profissionais confrontem a estabilidade financeira de uma carreira estabelecida com uma paixão reprimida que lhe desperte mais motivação. A desconstrução do mito de que o aprendizado é uma fase apenas das idades mais jovens é algo que tem contribuído para que as pessoas vençam o receio de instabilidade financeira e encarem os novos desafios.

São diversos exemplos de personalidades famosas que trocaram de ocupação e encontraram sucesso na nova atividade. Contudo, não é preciso ter o sonho de ser um grande artista para ir em busca de um grande sonho na vida, e aqui vamos dar exemplos de duas pessoas que depois de um bom tempo resolveram aceitar novos desafios de acordo seus sonhos e objetivos de vida.

 

De espiã à chefe de cozinha

Como o título deste tópico sugere, o caso de Julia Child é um dos mais curiosos por ter mudado de ramos completamente diferentes, tendo sucesso em ambos.

Julia foi uma das primeiras espiãs mulheres da história, tendo servido ao Setor de Serviços Estratégicos (órgão precursor da CIA) em várias partes do globo durante a Segunda Guerra Mundial. Durante esse período ela conheceu seu marido, que então era um diplomata que trabalhava em Paris.

Foi neste período que Child entrou na notória escola de culinária Cordon Bleu, em Paris, e se iniciou na carreira de chef de cozinha na década de 1950. Este passo acabou por ser crucial não só na vida da norte-americana, como também na área da gastronomia como um todo.

Photo by Lynn Gilbert

Julia Child subiu rapidamente na carreira, e na década de 1960 chegou a comandar um programa culinário na televisão norteamericana que tinha o objetivo de mostrar que a gastronomia podia ser mais simples do que estava no senso comum da época. Esse sucesso também foi simbólico por ser a primeira mulher a ter notoriedade numa época em que a gastronomia era dominada por homens.

A chef de cozinha permaneceu por muito tempo como uma das pessoas mais influentes da gastronomia mundial, e foi autora de 20 livros e fundadora do Instituto Americano de Vinhos e Comida, instituição focada em democratizar o acesso à boa gastronomia no país.

 

Entre as competições esportivas e a matemática

Ramón Colillas é um caso interessante de como se pode aliar duas paixões de infância que aparentemente parecem completamente opostas entre si.

Duas habilidades em particular marcaram a infância do espanhol; os esportes e a matemática. Por um lado, Colillas sempre teve um gosto especial por resolver problemas matemáticos complexos, mas também se sentia atraído pela adrenalina e emoção das competições esportivas.

Inicialmente os esportes se destacaram mais na vida do espanhol, que chegou a fazer parte de equipes de base de clubes de futebol, enquanto cursava Educação Física na Universidade de VIC, em Barcelona. Quando parecia que Colillas podia se destacar no futebol, duas lesões no mesmo ligamento do joelho o afastaram de vez da vida profissional como futebolista.

Photo by Unknown, Public Domain

Ramón chegou a pensar em mudar de curso para Engenharia, de acordo com suas habilidades para matemáticas e ciências exatas, mas acabou concluindo o curso de Educação Física e montou uma academia na cidade natal.

Mesmo assim, o espanhol não se sentia satisfeito, e precisava de uma atividade que aliasse suas duas paixões de infância. Então Colillas percebeu que o pôquer, atividade à qual ele já dispendia várias horas na frente da televisão assistindo aos mais diversos torneios, poderia ser uma forma de dar vazão tanto a seu gosto por matemática – já que as competições envolvem uma capacidade analítica aguçada -, quanto por competições esportivas.

Com bastante empenho e treinamento, Ramón Colillas logo alcançou sucesso na sua nova empreitada. A coroação de Colillas veio com o título do Campeonato da Espanha em 2018 que, além de um grande prêmio financeiro e a conquista do Platinum Pass, que lhe deu o direito de disputar o PSPC em Bahamas, um dos maiores torneios do mundo, lhe colocou no quadro de maiores competidores de pôquer da atualidade.

 

Seguir os passos dos pais, ou abrir o próprio caminho?

Manuela Villela passou pelo problema que muitas pessoas atravessam ao serem induzidas a seguir a mesma carreira escolhida pelos pais.

Filha de uma dentista, Manuela via a carreira da mãe como um exemplo a seguir durante toda sua infância, o que a levou a concluir o curso de odontologia na Universidade Federal do Rio de Janeiro. Em pouco tempo de formada, Manuela já havia passado em um concurso para a Marinha, tinha um bom salário, e um trabalho que lhe envolvia em diversas viagens pelo país.

Apesar desse rápido sucesso na odontologia, Manuela ainda não se sentia completamente satisfeita, e queria dar vazão à um lado criativo que havia dentro de si. Foi assim que ela acabou decidindo abandonar a odontologia e seguir carreira na área da publicidade e propaganda.

Vencidas as incertezas do início deste processo de troca de carreira profissional, Manuela conseguiu se firmar na nova área, e em pouco tempo já havia entrado para trabalhar na equipe do Google, e posteriormente no Youtube, onde passou a trabalhar como gerente de parcerias.

Para Manuela, a grande lição foi a de focar nas próprias qualidades pessoais, e não em uma eventual estabilidade financeira e profissional que uma carreira lhe pode proporcionar

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here