sábado, fevereiro 29, 2020
Início Site

Praça Benedito Calixto

0

Tudo o que vejo, ouço e sinto nesta hiponga praça me faz lembrar nossa parte influenciada por aqueles que moldaram nossa personalidade.
Com seu ar de fumaça, aquela mistura típica das essências de incenso com cigarro de seus frequentadores, me leva a crer que somos todos, jeitos diferentes de ser gente, de ser humano.
Hippies, skatistas, santistas, pernambucanos e moralistas estão todos num mesmo espaço, sem sombra de preconceitos ou discriminações, por acaso se encontrando na Benedito Calixto no fim de semana, enquanto pechincham alguns badulaques.
Somente as praças conseguem estes feitos, ter tanta diversidade em um mesmo lugar.
Na Benedito Calixto, todas as tribos se juntam, formando um grande Patchwork de estilos e jeitos de ser, e este observador do urbano que vos escreve, dando uma de poeta, achou tudo divino, maravilhoso, em deslumbramento no meio deste mar de bugigangas dos mais variados estilos.
Estava sendo uma personalidade de mim que pouco se manifesta perante os outros Eus: Se achando o neo-beatnik fascinado por Allen Ginsberg e toda a contracultura da época. Só para contrariar esta minha persona e enlouquecer um pouco mais minha personalidade, encarnei minha verve intelectualóide na praça, declarando todo meu amor pelos filósofos gregos e romanos, declamando Odes das Liras de Marília de Dirceu, do arcadista Tomás Antônio Gonzaga, ampliando mais as flores da praça do que o casal de colibris de porcelana, a venda pela pechincha de R$ 5,00.
No meio da vibe desta geleia geral, precisei volver e sair pela tangente, porque meu objetivo não era a Praça, mas sim o MIS, que estava com uma mostra de Leonardo Da Vinci super bacanuda.
Preciso voltar um dia, para rever os colibris que passam bebericando os antúrios das redondezas, voltar em um dia que o azul do céu brinda o dia com a realeza do sol!
Talvez eu volte… um dia eu volto…  Mas não quero esquecê-la.

Pizza na Roça é inaugurada no Good Stop, em Mococa

0
Rinaldo, Pizza na Roça na inaugurada no Good Stop, em Mococa. Vá conhecer!!

A grande inauguração da Pizza na Roça, na conveniência Good Stop, em Mococa, ocorreu na noite do dia 19 de fevereiro, com muitas novidades aos clientes.

 

O estabelecimento está localizado na Avenida Américo Pereira Lima, 31, no Jardim Lavínia. Para mais informações entre em contato através dos telefones: (19) 98247-8166 e (19) 99873-1897 (WhatsApp).

Parabéns e muito sucesso!

 

 

Rinaldo, Pizza na Roça na inaugurada no Good Stop, em Mococa. Vá conhecer!!

Projeto Lobos do Pardo captura o primeiro animal de 2020

0
Projeto Lobos do Pardo - Janeiro 2020 - Campanha de re-captura -- Crédito para foto: Instituto Pró-Carnívoro

Iniciativa que é resultado da parceria da AES Tietê com a ONG Instituto Pró-Carnívoros e ICMBio passa a monitorar 23 lobos-guarás

A AES Tietê investe em projetos que vão além do compromisso com a proteção dos biomas brasileiros. Exemplo disso é a parceria com a ONG Instituto Pró-Carnívoros e o Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Mamíferos Carnívoros (CENAP) do ICMBio/MMA, para o projeto “Lobos do Pardo”, que tem como objetivo avaliar as ameaças à sobrevivência dos lobos-guarás encontrados na região da bacia do Rio Pardo e traçar estratégias para melhorar as condições de sua sobrevivência. No final do mês de janeiro, o oitavo lobo-guará foi capturado em São José do Rio Pardo.

 

O animal, um macho saudável, recebeu o nome de Ricco. Ele é de grande porte, tem aproximadamente dois anos de idade e pesa 27,5 quilos. “Na captura, o lobo Ricco não se mostrou agressivo. Nele foi colocado uma coleira com tinta refletiva e um brinco de identificação. Inicialmente, vamos monitorar este animal por meio de armadilhas fotográficas espalhadas na região, como a maioria dos lobos vem sendo acompanhada”, explica Guilherme Freitas, Analista Administrativo de Meio Ambiente da AES Tietê.

 

O projeto busca contribuir para o avanço de estudos e pesquisas cujos resultados poderão ser aplicados em políticas públicas ou ações institucionais de conservação ambiental. O projeto Lobos do Pardo, realizado pela AES Tietê em parceria com a ONG Instituto Pró-Carnívoros e o Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Mamíferos Carnívoros (CENAP) do ICMBio/MMA, foca no direcionamento de estratégias de conservação para aumentar as chances de sobrevivência a longo prazo da espécie, que atualmente está listada como vulnerável à extinção no estado de São Paulo. Com essa nova captura, já são oito lobos acompanhados de perto pelo projeto. Um total de 22 lobos são monitorados desde o início de 2018 pelas lentes das armadilhas fotográficas espalhadas ao longo de 1.800 km2 nas imediações das Usinas Hidroelétricas de Caconde, Euclides da Cunha e Limoeiro. Destes, sete lobos foram aparelhados com coleira de monitoramento por GPS e transmissão de informações via satélite. Todos os lobos capturados têm sua saúde avaliada constantemente a partir do primeiro contato.

Sobre AES Tietê
A AES Tietê atua como uma plataforma integrada de energia renovável com soluções customizadas de acordo com a necessidade de seus clientes. Está entre as maiores companhias privadas de geração do Brasil, atuando no país há 20 anos. O Centro de Operações de Geração de Energia (COGE), localizado em Bauru (SP), é o mais tecnológico do país e opera remotamente todos os ativos da companhia.

 

No portfólio, composto por geração hídrica, solar e eólica, estão nove usinas hidrelétricas e três pequenas centrais hidrelétricas, dois Complexos Solares, Guaimbê e Ouroeste, em São Paulo, além do Complexo Eólico Alto Sertão II, na Bahia. Recentemente, a companhia anunciou investimento na construção do Complexo Eólico Tucano, também no estado da Bahia.
www.aestiete.com.br

 

Sobre o Instituto Pró-Carnívoros
O Instituto para a Conservação dos Carnívoros Neotropicais – Pró-Carnívoros é uma associação civil, de direito privado, não governamental e sem fins lucrativos. Fundada no ano de 1996, com mais de 20 anos de atuação, está sediada em Atibaia – SP e desenvolve projetos em diversas regiões do país. Os associados do Pró-Carnívoros são reconhecidos tanto pela contribuição de suas ações para a conservação ambiental, como pela excelência de suas realizações, honestidade e transparência na administração de recursos. A missão do Instituto Pró-Carnívoros é promover a conservação dos mamíferos carnívoros neotropicais e de seus habitats e sua atuação se dá em todos os biomas brasileiros (Mata Atlântica, Cerrado, Caatinga, Pantanal, Amazônia e Pampas).
www.procarnivoros.org.br

 

Sobre o ICMBio/CENAP
O CENAP é o Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Mamíferos Carnívoros, um dos Centros Nacionais de Pesquisa e Conservação do ICMBio – Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, autarquia do Ministério do Meio Ambiente. O centro atua em todo território nacional e tem por missão promover, por meio da gestão e da produção do conhecimento, a conservação e manejo de mamíferos terrestres silvestres. Tem a função de planejar, supervisionar, executar ações de conservação de espécies ameaçadas do Brasil.
www.icmbio.gov.br/cenap

Carnaval de Caconde agita foliões durante cinco dias

0
Carnaval de Caconde agita foliões durante cinco dias

A folia de Caconde começou na sexta-feira, 21 de fevereiro, e vai até terça, 25, oferecendo 2 palcos e 9 shows com axé, funk, sertanejo e marchinhas para animar e divertir o público presente. Boa festa, galera!

 

Galera prestigiou o evento
« 1 de 6 »

AAR realiza carnaval com duas noites e duas matinês

0
AAR realiza carnaval com duas noites e duas matinês

O tradicional carnaval da Associação Atlética Rio-pardense (AAR) está imperdível: serão duas noites e duas matinês de 22 a 25 de fevereiro, na sede social do clube, situada em frente à Praça XV de Novembro, ao som da Banda Fuzuê, com Fábio Laguna no teclado, Deivid Santos na guitarra, Jair Braz na bateria, Bruno Passos no baixo, Waguinho na percussão, além de Robinson Rodrigues e Luciana Guimarães nos vocais. Boa diversão, pessoal!

 

O presidente do clube, Nivaldo e sua esposa
« 1 de 11 »

Tradicional carnaval da Banda do Grelo teve início no domingo

0
Tradicional carnaval da Banda do Grelo tem início no domingo

Com o objetivo de levar alegria e diversão aos foliões, a Banda do Grelo manteve a tradição e se reuniu mais uma vez, com saída do Bar do Pinguim, na tarde de domingo, 23 de fevereiro, onde aconteceu um ‘esquenta’, e chegada na Praça XV de Novembro, em São José do Rio Pardo. A folia voltará a acontecer na terça-feira, 25, sendo o segundo e último dia de carnaval do grupo.

 

Animação não falta
« 1 de 2 »

Rio Pardo Futebol Clube promove ‘Grito de Carnaval’

0
Rio Pardo Futebol Clube promove ‘Grito de Carnaval’

O carnaval do Rio Pardo Futebol Clube (RPFC), que teve início no dia 22 e será encerrado no dia 25 de fevereiro, conta com música ao vivo com Acústica A3 e Samba do Chicão, além de piscina e muita animação para a galera. Durante a folia, o clube também oferece ‘Hidro Axé’, ‘Super Aula de Axé’ e brinquedos para a criançada. Aproveitem!

 

O presidente do Clube Marcelo e sua noiva
« 1 de 8 »

Logosofia: uma nova geração de conhecimentos

0

Entre as particularidades que distinguem a concepção logosófica, cujo fundo e lógica se baseiam em sua profunda verdade demonstrável, a originalidade é, sem dúvida alguma, uma das que mais comoção produz no sentir humano. Cumpre destacar aqui o poder convincente dessa verdade, que consiste em que, sendo tão simples, ninguém até hoje a havia descoberto. Entretanto, onde mais força nossa afirmação adquire é ao se experimentar a sensação de amplitude que seus conhecimentos oferecem à vida, ao que se une a impressão de retidão e solidez de seus valores éticos.

Todo ser racional e consciente, que toma contato com nossa concepção, sente que ela toca e comove sua própria realidade interna, e que não só satisfaz plenamente, com suas explicações, os fatos incompreendidos da vida, mas também responde, com segurança, às indagações pendentes, apresentando à inteligência outras mais profundas, que em seguida ajuda a transformar em conhecimentos.

Se ainda tiver ficado alguma dúvida a respeito de tais asseverações, para eliminá-la bastará o só enunciado das concepções logosóficas sobre o sistema mental, sobre a gênese, atividade e autonomia dos pensamentos, e sobre o processo de evolução consciente, ao que ainda faltaria acrescentar os conhecimentos que dão verdadeira e elevada hierarquia ao espírito e abrem para o homem as portas de sua redenção moral, proporcionando-lhe as mais justas e viáveis possibilidades de reabilitação, ao permitir-lhe refazer sua vida sobre bases graníticas e enriquecê-la com fecundas realizações internas de superação individual.

A Logosofia traz uma mensagem que se plasma numa nova geração de conhecimentos

os quais, por sua índole e finalidade, diferem completamente das verdades admitidas. Não tem, pois, semelhança nem parentesco de nenhuma natureza com os sistemas ou teorias conhecidos, filosóficos ou psicológicos.

Seu objetivo principal é fazer o homem experimentar a certeza de um mundo superior: o metafísico, em cujos vastos e maravilhosos campos naturais pode encontrar inesgotáveis motivos de regozijo, enquanto nele penetra e enriquece sua cons­ciência com a abundância dos novos e valiosíssimos elementos que encontra, em seus continuados esforços pela superação integral de si mesmo e pela conquista do bem. Essa realidade, que a Logosofia faz o homem viver, é o resultado de um processo de evolução que deve ser realizado com o imprescindível e insubstituível concurso da consciência individual, despertada para esse primordial fim.

A Logosofia tem diante de si uma imensa tarefa a cumprir, ao encarar a mente humana qual ela aparece em sua particular concepção. Seu trabalho, a ser realizado nas mentes desde o momento que tomam contato com o ensinamento, requer grande consagração e consciência, surgindo daí, com frequência, surpresas muito agradáveis.
Extraído do Livro Mecanismo da Vida Consciente, pág. 24 e 25


Grão de mostarda e tempos melhores

0

Atravessamos um momento de transformação no mundo, radical e turbulento sob muitos aspectos, o que exige de nós capacidade superior no enfrentamento de obstáculos de todos os matizes. Não me refiro a uma correria neurótica — porque há gente que corre, corre, corre sem chegar a ponto algum. Falo aqui de uma preparação sistemática e corajosa em prol de tempos melhores, sempre desejados, mas até agora não devidamente conseguidos pela humanidade. O que lhe anda talvez faltando é perspicácia e perseverança no tocante a certos ensinamentos básicos que Jesus, o Profeta Divino, farta e esperançosamente, nos transmite. Bom exemplo encontramos na Parábola do Grão de Mostarda, em que um homem planta pequena semente e, apesar de miúda, ela desabrocha, cresce e se torna frondosa árvore, de modo que as aves, dela se aproximando, formam morada nos seus ramos (Evangelho de Jesus, segundo Mateus, 13:31 e 32).

O semeador teve, digamos, uma visão profética, porque possuía conhecimento acerca do extraordinário valor contido na sementinha e seu consequente futuro. É essa uma das lições que Jesus, nessa parábola, nos quer transmitir. O contrário seria deixar o diminuto grão largado no caminho, e lá abandoná-lo sem germinar. Assim, quando não temos ciência da força que traz a Palavra Divina, arriscamo-nos a chutar a semente e desprezar a grande fortuna que Deus nos oferece, prejudicando o porvir. Ora, o que hoje aprendemos senão que aquele que possui informação e comunicação é dono do mundo?…

Vê-se logo que o chutador de semente anda desinformado. Imaginemos o que ocorre com quem desconhece Evangelho e Apocalipse, de preferência em Espírito e Verdade, à luz do Novo Mandamento de Cristo Rei — “Amai-vos como Eu vos amei. Somente assim podereis ser reconhecidos como meus discípulos” (Evangelho de Jesus, segundo João, 13:34 e 35). Quantas oportunidades se perdem nesse mundo! Não considerar e viver o Santo Evangelho e o Apocalipse Redentor de Nosso Senhor Jesus Cristo é andar mal avisado.

Todos os empreendimentos espirituais e humanos, dos modestos aos mais destacados, foram antes pequeninos, assim como um novo ano que se inicia. A origem pode ter sido um diálogo familiar, uma reunião de trabalho, uma intuição… E, se a ideia nova é cultivada segundo os princípios humanitários evangélicos e apocalípticos, os benefícios para a coletividade hão de ser incontáveis.
José de Paiva Netto, escritor, jornalista, radialista, compositor e poeta. É diretor-presidente da Legião da Boa Vontade (LBV). Membro efetivo da Associação Brasileira de Imprensa (ABI)


Uma página em branco

0

No princípio, tudo era branco. Quando eu cheguei aqui, e você ainda não tinha começado a me manchar com todo este preto, que são… ‘Formas do alfabeto’!? Ah não, isso mesmo, ‘Letras do Alfabeto’! Essa era a palavra que eu queria. Antes das letras do alfabeto, tudo o que conhecia, fazia parte de um imenso branco.

Éramos mais felizes não conseguindo distinguir infinito de finito.
Já explico: É que no branco, tudo passa a ser infinito, tudo quanto é luz passa, só passa. Já o preto não, quando mancha uma letra desta cor, para nós que somos brancos como vela, surge uma parede, um bloqueio.

Para você que não sabe quem sou, prazer, sou uma folha em branco, bom… agora uma página, e me parece estar surgindo um baita texto por aqui, pelo que vejo, está na fonte… hum… Geó… Georgia, ta… manho… onze!

É difícil ler daqui debaixo, pois quanto mais escrevem lá em cima, menos coisas eu sei do que acontece. Quanto mais inventam de pôr palavras aqui em baixo, menos eu me lembro de como eu era no começo disso tudo.

Era mais fácil ser um texto, era mais rápido.
Já passou de mil caracteres, daqui a pouco tudo isso acaba, e a ansiedade para começar um texto sem ter ideia sobre o que escrever também, por quê, afinal de contas, acabou o espaço!

Voltamos ao começo, de novo, onde naquele princípio, era tudo branco, onde tudo podia ser infinito, assim como no espaço.

E o preto, como só ele consegue, manchou os espaços, deixando marcas que não podem ser apagadas, mesmo quando forem borradas com gotas de chuva.

No fim, vamos percebendo que somos todos pretos no branco, por alguma razão ou situação.

Somos uma palavra na trajetória de alguém, que se dispôs a escrever sua história conosco, somos marcados, para sempre, no livro de suas memórias.

Seja em fonte reta como a Georgia ou reforçadas como Forte, ou Arial Black.

Qual será sua marca? Como será sua fonte? Pense também, se está caminhando para uma exclamação, ou se tudo será, enfim, um ponto final.