Projeto Educar abre inscrições para novos participantes

0
623
Professores e coordenadora juntamente com participantes do ano passado (Foto: Arquivo pessoal)

Estudantes interessados em frequentar as aulas gratuitas do cursinho pré-vestibular do Projeto Educar devem ficar atentos: as inscrições serão realizadas nos dias 18 e 25 de janeiro (sábados), das 8h às 14h, na E.E. “Euclides da Cunha”, em São José do Rio Pardo. Para se inscrever é necessário levar o RG e pagar uma taxa de R$ 25, que será revertida para o lanche dos participantes.

 

Em atividade há cerca de 19 anos, o Projeto Educar tem como objetivo auxiliar estudantes e “treineiros” em época de vestibulares e concursos. Como já mencionado, o cursinho é gratuito e funciona na E.E. “Euclides da Cunha”, sempre aos sábados, no período de fevereiro a outubro.

A coordenadora Adriana Barboza Quirino, que também foi aluna do projeto em 2012, afirma que a expectativa para este ano é que haja 80 participantes. Ela ressalta que o objetivo do curso é “tentar suprir alguns dos ‘buracos’ que o sistema de ensino deixa”. “Esperamos que o cursinho ganhe maior espaço no município para que possamos continuar esse trabalho de compartilhar conhecimento, além de ajudar a formar bons alunos, pois eles irão buscar qualificação e ajudar a cidade a crescer junto.”

Com a colaboração de 14 professores voluntários neste ano, o curso oferecerá todas as disciplinas aos alunos e ainda deverá realizar viagens técnicas e institucionais. “O nosso quadro de docentes se manteve (referente ao ano passado). Teremos aulas de Português, Matemática, Física, Química, Biologia, História Geral, História do Brasil, Geografia Geral, Geografia do Brasil, Redação, Sociologia e Filosofia”, conta.

Desistências
Segundo ela, o ano passado foi iniciado com 83 participantes e concluído com 14, sendo considerado “conturbado” devido à mudança de locais (da Feuc para o Euclides). “Mas conseguimos atingir vários objetivos. Acredito que a evasão dos alunos seja comum, por estarem atarefados com o Ensino Médio regular, trabalho. Afinal de contas, as aulas são aos sábados, o que torna ainda mais desgastante para eles.”

 

Métodos
Para melhorar ou até mesmo extinguir as desistências dos participantes, a coordenadora pretende introduzir diferentes métodos de ensino no projeto. “Fazendo com que o aluno seja o protagonista do próprio saber. O participante cativado é mais difícil de executar evasão.”

 

Pontos
Em relação aos pontos positivos do curso, Adriana explica que a equipe de coordenação e os professores, que são formados em “grandes faculdades”, fazem parte da ‘lista’. Porém, também há os pontos negativos. “Não temos recursos didáticos disponíveis por questão de dinheiro, como o ‘datashow’, o que dificulta o ensino de algumas matérias. Então, também esperamos consegui-lo.”

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here