Dimensionamento de ambientes #03: COZINHAS | Penna Arquitetura e Urbanismo

2
15436
Fonte: http://coisasdekarol.com.br/cozinhas-dos-sonhos/
Fonte: http://coisasdekarol.com.br/cozinhas-dos-sonhos/

Salve galera, tudo bom com vocês? Esse é mais um texto sobre dimensionamento de ambientes. Nesse eu vou falar sobre as COZINHAS. Assim como os demais ambientes já falados, elas devem ser projetadas de modo a adaptar as dimensões às pessoas que irão utilizá-las. Sem dúvidas, uma cozinha bem projetada e bem executada traz grandes benefícios ao convívio familiar.

Por se tratar um ambiente de trabalho, muitos fatores devem ser levados em consideração na hora de fazer o projeto. Todos os fluxos devem ser muito bem analisados e todas as medidas devem ser respeitadas, visando o melhor conforto possível no local. Ela deve ser um ambiente funcional, com espaço adequado para a colocação, de forma bem organizada, do fogão, geladeira, pia, armários e demais utensílios, permitindo ainda a livre circulação das pessoas em seu interior.

Além disso, para se ter uma cozinha ideal, é necessário aplicar a Ergonomia em sua construção. Ela ajudará a prevenir dores físicas, além de contribuir para a funcionalidade do local e deixar os momentos passados ali mais confortáveis e agradáveis. Para isso, alguns detalhes são essenciais no ambiente: como a altura, a largura, o comprimento e o espaço entre os móveis. Dessa forma, cada item do ambiente terá medidas diferentes para cada indivíduo, estabelecendo a melhor relação entre o espaço e seu usuário.

Uma série de estudos definem 5 zonas gerais para a cozinha: armazenamento de comida; armazenamento de louça; limpeza; preparação e cocção.

Fonte: https://images.arquidicas.com.br/wp-content/uploads/2015/07/29160216/plantas-cozinhas-pequenas.jpg
Fonte: https://images.arquidicas.com.br/wp-content/uploads/2015/07/29160216/plantas-cozinhas-pequenas.jpg

É preciso acessar facilmente os três pontos principais da cozinha: pia, fogão e a geladeira. Esse trio forma o que chamamos de triângulo de trabalho, porque são os principais pontos de movimentação em uma cozinha. Ele contribui para diminuir a movimentação desnecessária e facilitar a cocção. A pia deve sempre ficar em um ponto central entre o fogão e a geladeira. Entre cada ponta do triângulo deve haver uma bancada de apoio para o preparo das refeições: ao lado do fogão e do forno, para servir de descanso para as panelas quentes, e ao lado da pia, onde fica o escorredor de louça ou onde se cortam os alimentos.

tamanho mínimo que uma cozinha deve ter é com uma área de 4 m², com uma largura mínima de 1,5m e um pé direito mínimo de 2,5m. Claro que estas medidas variam de acordo com cada usuário que irá utilizar o local e com cada item que será colocado no ambiente.

Além disso, por ser uma área de trabalho, a circulação é um fator muito importante. Quando pensamos na medida necessária para passagem entre os móveis, o mínimo é a distância de 60 cm, mas como em uma cozinha é necessário abaixar para mexer em uma gaveta, por exemplo, essa medida mínima passa para 80 cm. Além disso, no local do forno, a distância deve ser de 90 cm e entre dois balcões a deve ser de 120 cm até 150 cm. Isso irá deixar o fluxo na cozinha muito mais prático e confortável.

Existem vários tipos de cozinhas: lineares, paralelas, em “U”, em “L” e as com ilha. Vou falar de agora de cada uma delas.

Fonte: https://images.arquidicas.com.br/wp-content/uploads/2014/09/29141255/tipos-de-cozinha.jpg
Fonte: https://images.arquidicas.com.br/wp-content/uploads/2014/09/29141255/tipos-de-cozinha.jpg

COZINHA LINEAR

Normalmente esse modelo é utilizado em cozinhas pequenas, estreitas e longas. O corredor livre deve ter 80 cm no mínimo. É preciso ter uma parede de, pelo menos, 3 metros, onde fogão, pia e geladeira ficam alinhados sobre uma bancada. Ou seja, não chegam a formar o triângulo de trabalho, mas, ainda assim, podem ser funcionais, deixando a pia entre o fogão e a geladeira e entre eles uma bancada de apoio.

Fonte: https://www.arquidicas.com.br/modelos-de-cozinhas/

  • COZINHA PARALELA ou CORREDOR

Também utilizada em cozinhas pequenas, estreitas e alongadas, com armários de aproximadamente 65 cm de profundidade e circulação de pelo menos 120 cm, possibilitando a passagem de duas pessoas e permitindo abrir as portas dos armários e gavetas confortavelmente. Geralmente elas são passagens para outros cômodos, por isso a necessidade do corredor. Nelas existem duas bancadas alinhadas, uma de frente para a outra, onde os pontos do triângulo podem ser distribuídos. O ideal é deixar a pia e o fogão do mesmo lado e a geladeira e área de armazenamento do lado oposto.

Fonte: https://www.arquidicas.com.br/modelos-de-cozinhas/ e http://bbel.uol.com.br/organizacao/solucoes-para-cozinhas-pequenas/

  • COZINHA EM “U”

São cozinhas agradáveis, que exigem maiores espaços, sendo ideal para ambientes mais largos e que permitam um corredor entre 120 cm a 150 cm. São utilizadas três paredes para apoiar as bancadas, com o layout formando um “U” e permitindo ter um maior número de armários e gavetas. Com essa distribuição, a circulação torna-se mais fácil, sendo necessário fazer menos deslocamentos durante o trabalho. Os setores da cozinha ficam bem próximos, possibilitando uma ótima distribuição e aproveitamento dos móveis.

Fonte: https://www.arquidicas.com.br/modelos-de-cozinhas/ e https://casaeconstrucao.org/projetos/bancada-de-cozinha/

  • COZINHA EM “L”

Essa disposição permite que o ambiente funcione como copa-cozinha, já que o layout em “L” abre espaço para a colocação de uma mesa de refeições, ou até mesmo uma ilha. A distribuição utiliza duas paredes ortogonais, aproveitando os cantos e oferecendo um layout harmonioso. Este modelo também permite uma favorável distribuição das tarefas do triângulo de trabalho, porém também exige um espaço mais largo.

Fonte: https://www.arquidicas.com.br/modelos-de-cozinhas/ e https://casaeconstrucao.org/projetos/bancada-de-cozinha/

  • COZINHA COM ILHA

Elas são totalmente funcionais, práticas e modernas, sendo uma tendência na arquitetura de cozinhas gourmet e contemporâneas. Recomendadas apenas para ambientes amplos, já que consistem em um modelo com uma bancada que fica no centro da cozinha, sem paredes em volta. Os espaços necessários são de pelo menos 60 cm em todo seu perímetro e de 120 cm entre a ilha e os demais balcões ou armários. É ideal que a cozinha tenha de no mínimo 9 m².

As ilhas podem ser usadas para apoiar o fogão (ou cooktop), pia, ou apenas servir como uma bancada para o preparo de alimentos. Podem ter armários inferiores e serem acompanhadas de uma mesa ou bancada de refeições. Nesse caso, se a altura do móvel se for de até 75 cm é possível utilizar cadeiras; com até 110 cm o mais indicado é o uso de banquetas.

Elas são o sonho de consumo de muita gente, porém se tornam cada vez mais inviáveis, devido ao tamanho cada vez menor das cozinhas atuais. Para esses casos, uma opção seria as cozinhas com península, em que o móvel fica encostado em uma parede, otimizando o ambiente.

Fonte: https://www.arquidicas.com.br/modelos-de-cozinhas/ e https://www.decorfacil.com/cozinhas-com-ilha-central/

Além disso, um modelo que vale destacar, são as cozinhas americanas, que se trata daquele modelo que integra a cozinha à uma sala, dando uma sensação de maior amplitude no ambiente e integração.

Vale ainda lembrar que as cozinhas que têm espaços reduzidos, devem ter preferência pela não colocação de mesas, e sim pela utilização de bancadas, com um mínimo de 45 cm de profundidade, onde podem ser feitas pequenas refeições.

  • ELETRODOMÉSTICOS E OUTROS UTENSÍLIOS

O tamanho dos eletrodomésticos, como o fogão e geladeira, pode ser definido pelas necessidades da família.

Geladeira: deve ficar próxima à despensa e áreas de armazenamento. Uma bancada próxima facilita na hora de organizar as compras.

Fogão: existem diversos tipos, desde o padrão (com pés de apoio), até os embutidos ou cooktops (que podem ser integrados a bancadas e instalados em alturas variadas, de acordo com a altura dos moradores). Se possível, colocar um exaustor acima, com uma altura entre 50 cm a 70 cm. Uma excelente opção é a utilização de uma coluna onde é possível colocar o forno (altura de aproximadamente 90cm) e micro-ondas (colocado a nível dos olhos). Além disso, é indicado ter bancadas laterais com no mínimo 30 cm de cada lado (importante para apoiar as panelas quentes), ou espaços livres, pois por aquecer muito, pode desgastar os outros eletrodomésticos. Lembrando também que a frente do forno deve ser livre, para a abertura da porta, com uma distância mínima de 90 cm.

Pia: é ideal que fique perto da janela, para utilização da luz natural, com áreas de serviço próximas (se possível 60 cm de cada lado), para escorrer as louças e para o preparo dos alimentos. A altura da bancada da pia varia de acordo com os moradores, mas geralmente deve ser entre 85 cm a 105 cm (ver tabela abaixo), com uma profundidade de 55 cm a 60 cm, sendo que a altura do rodapé varia entre os 10 e os 22 centímetros de altura. O frontão (revestimento que se prolonga na parede à frente da pia, para proteger a parede dos respingos de água) deve ter 10 cm ou mais.

Fonte: https://www.arquidicas.com.br/ergonomia-da-cozinha/
Fonte: https://www.arquidicas.com.br/ergonomia-da-cozinha/

Bancadas: são uma boa opção para realizar pequenas refeições, além de funcionar como “passa-pratos”, entre a cozinha e a sala de jantar. A altura varia de acordo com o uso e geralmente as medidas são as seguintes – Altura balcão alto (para uso com banquetas altas) = 110cm; Altura balcão baixo (mesma altura de mesa de jantar) = 75cm. A profundidade deve ser no mínimo de 40 cm e o espaço abaixo para as pernas de no mínimo 25cm.

Armários: os armários superiores devem estar a uma distância de 40 cm a 70 cm de distância dos gabinetes inferiores. Eles devem ter de 20 cm a 40 cm de profundidade, para que o usuário não bata a cabeça, e altura máxima indicada de 180 cm. Já os gabinetes inferiores devem ter de 55 cm a 65 cm de profundidade, com a altura variando de acordo com a bancada da pia. A base deve ter pelo menos 10 centímetros de altura e ser afastada também 10 centímetros para que os pés possam se acomodar. Já os gabinetes livres e suspensos devem estar a pelo menos 14 cm do chão para que a vassoura de limpeza consiga chegar ao fundo do armário.

  • FATORES IMPORTANTES EM UMA COZINHA

Iluminação: é importante ter uma ótima iluminação tanto natural, como artificial, pois as cores e as texturas dos alimentos precisam ser bem percebidas para facilitar a higiene. A luz artificial deve ser neutra ou branca com boa intensidade, evitando as lâmpadas amarelas, que distorcem a “cor natural” dos alimentos. Sempre evitar sombras, pois a luz deve ser homogênea em todos os pontos.

Ventilação: é importante que o ar circule na cozinha e leve o cheiro para fora, sem entrar na área íntima. Para ajudar utilize um depurador ou coifa acima do fogão (principalmente quando é uma cozinha integrada com a sala).

Elétrica: é necessário ter um bom número de tomadas nas áreas de trabalho (sobre as bancadas e para os eletrodomésticos), além de interruptores nas entradas.

Hidráulica: pelo menos um ralo é essencial e para máquinas de lavar geralmente precisa de um ponto de água e um de esgoto.

Materiais: os revestimentos devem ser fáceis de limpar, impermeáveis e de preferência lisos ou com uma textura mínima. Opte por pedras nas bancadas, pois são fáceis de limpar, podem receber as panelas quentes sem queimar e não riscam como as superfícies em inox. O mármore não é a melhor opção, prefira pedras menos porosas como o granito e o quartzo. Nas paredes porcelanato, pintura epóxi, cimento queimado e pastilhas são boas opções, se quiser usar papel de parede, tijolo à vista ou outros materiais mais porosos, coloque nas áreas mais afastadas da pia e do fogão. Se quiser utilizar madeira, ela deve ser bem impermeabilizada.

Cores: as cores claras são ótimas para as cozinhas pequenas, pois refletem melhor a luz e ampliam a sensação de espaço. Se optar por utilizar cores, uma dica é – prefira as que remetem as cores dos alimentos, por exemplo, azul não é uma boa escolha.

Como vocês podem ter percebido, é necessário planejar muito para se ter uma cozinha realmente eficiente. Deve-se ter em mente que a cozinha ideal não é a mais bonita, nem a mais bem decorada, mas sim a que se adapta às suas necessidades. O ambiente deve ser pensado tendo como prioridade o usuário, dando destaque para a Ergonomia. Tudo deve ser pensado para facilitar a sua vida, ajudando a melhorar seu cotidiano e deixando os dias mais práticos e confortáveis. Mas claro, que se unir a beleza com a Ergonomia correta, isso irá criar a cozinha ideal para você!

Portanto, vale lembrar que as medidas aqui apresentadas funcionam como modelo, já que elas irão variar de acordo com cada usuário. E aí, gostou? Ainda tem alguma dúvida? Escreva para mim nos comentários. Muito obrigada e até a próxima!

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here