“Mas doutor, minha pressão nunca foi isso, está errado!”

0
118

Uma das coisas que mais acontece no consultório é o paciente contestar a pressão arterial aferida pelo médico, fisioterapeuta e outros profissionais de saúde. Geralmente, o que ouvimos é: “mas minha pressão nunca foi isso”!

Acontece que nossa pressão arterial é controlada momento a momento, e dessa forma, ela nunca está idêntica ao que estava a alguns minutos atrás. Obviamente, cada indivíduo segue um certo padrão de pressão, alguns estão acostumados a apresentar uma pressão mais alta, e outros uma pressão mais baixa. Por outro lado, cada atividade que fazemos pode alterara-la afim de dar um ajuste adequado às necessidades do nosso corpo.

Por exemplo, estou aqui sentada escrevendo este texto. Minha pressão está 110x70mmHg, ou simplesmente 11 por 7. Se eu me levantar e caminhar calmamente dois quarteirões e me sentar novamente, pode ser minha pressão esteja 120x70mmHg. Isso porque, até mesmo em atividades leves, nossa pressão precisa ser ajustada para que nosso corpo tenha uma circulação adequada para uma correta nutrição dos tecidos.

Aliás, somente o fato de eu mudar da posição deitada para de pé, minha pressão já se ajusta para esta nova posição!

Em exercícios físicos mais constantes ou intensos, a sua pressão arterial sistólica (o primeiro número) pode se alterar em até 40mmHg, por exemplo, ir de 12 por 7 até 16 por 7. Dias mais estressantes, dias em que bebi menos água, ou aquele final de semana em que consumi bebida alcóolica, tudo isso pode alterar a pressão!

Mas porque sempre que eu afiro minha pressão ela está com valores muitos parecidos? Isso acontece porque a forma correta de aferimos nossa pressão é depois de um certo período de repouso (de 5 a 10 minutos), e assim, ela pode apresentar-se igual ou muito parecida na maioria das vezes que você faz a sua mensuração. Isso seria a sua pressão arterial basal, ou seja, pressão arterial em repouso!

Portanto, nada de se assustar com o valor encontrado da sua pressão! Mas se ela apresentar valores altos (geralmente acima de 13 por 9 quando em repouso), é sempre bom visitar o seu médico para um diagnóstico adequado.

Profa. Dra. Karina Delgado Maida – CREFITO3/ 153232-F
Fisioterapeuta, FMRP/USP
Doutora em Ciências Cardiovasculares, FMRP/USP
Especialista em Saúde da Mulher e Gestão Hospitalar
Professora Titular UNIP
Telefone: (19) 3608-5622
e-mail: karinadmaida@gmail.com
Facebook: Benessere Consultoria em Saúde
Site: 
https://benesseresaude.weebly.com/

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here