Co-dependência

0
435

Muitas pessoas abrem mão de sua própria vida, sem medir as consequências e vivem a vida de outra pessoa.
Algumas só se sentem úteis se estiverem vivendo em função de alguém (em especial; alguém “problema”), acha que tudo tem que estar sob sua supervisão, que pode controlar tudo e todos.
Inconscientemente esta pessoa deseja que o dependente químico permaneça doente, para ela cuidar, a isso damos o nome de Co-dependência; uma doença progressiva e sem cura.
Nas décadas de 70 e 80 a Co-dependênica foi definida como um transtorno emocional relacionado a familiares de dependentes químicos; hoje em dia sabe-se que ela está ligada também a outros quadros de dependência, ou transtornos de personalidade e de conduta, onde a pessoa tem um cuidado excessivo pelo outro, ocorrendo assim um processo de auto anulação, esquecendo-se de si próprio, sua felicidade e bem estar, depende única e exclusivamente de como o outro vai estar, ocupam seus pensamentos vinte quatro horas por dia com aquele ente querido e acreditam que sua felicidade está nas mãos daquela pessoa.
Uma das maiores características do Co-dependente é sua baixa estima, sente-se valorizado apenas quando cuida, resolve e tolera os problemas do outro, mendiga o amor e aprovação das outras pessoas e acha que isso se dará concretamente se for visto como vítima.
A necessidade obsessiva em controlar e cuidar do comportamento do seu ente querido faz com que usem de conselhos, preocupações e gentilezas exageradas, tomando as dores do outro, acredita-se ser super-herói e que sem sua ajuda o outro não vai conseguir sobreviver, sufocando assim a outra pessoa.
É comum apresentar um quadro depressivo, ansioso e pensamentos acelerados; só sente-se bem, se a outra pessoa estiver bem também, mas se o dependente estiver mau, usou drogas, bebeu, recaiu…; sente-se culpado e não entende que escolhas implicam em consequências, por isso dá a vida para amenizar o sofrimento da escolha de seu ente querido…
Consequência? O dependente químico como fuga e manipulação sempre joga o motivo de seus erros e sofrimentos nas costas do Co-dependente fazendo-se de vítima; nasce aí um ciclo vicioso de culpado e vítima, sem qualidade de vida, amor próprio e perspectiva de um futuro melhor.
Existe cura? Não! Mas é possível como a doença de diabetes e dependência química; estacioná-la!
Como? Procure uma sala de autoajuda como a do Amor Exigente, lá você conhecerá melhor esta doença e encontrará ferramentas e caminhos para uma qualidade de vida melhor!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here